Telefones da UFRJ terão novo prefixo

10/02/2014 09:45

Os telefones das unidades da UFRJ no Rio de Janeiro com prefixos 3873, 2598 e 2562 passarão a ter o prefixo 3938, e os telefones de algumas unidades da UFRJ em Macaé passarão a ter o prefixo 2141, em virtude do processo de licitação dos serviços de telefonia fixa da universidade, cuja vencedora foi a operadora Embratel.

A alteração ocorrerá em etapas, sendo primeiro para os telefones com prefixo 3873, seguidos dos prefixos 2598 e 2562. Em Macaé, a mudança deverá ocorrer depois de efetuadas as alterações na cidade do Rio de Janeiro.

As mudanças têm previsão para ocorrer até meados de março, de acordo com o prazo definido no processo de licitação, e representará uma redução estimada em 40% dos atuais R$ 6,2 milhões gastos ao ano com telefonia na universidade.

Após a adoção dos novos prefixos, quem ligar para os números antigos ouvirá, durante 30 dias, uma mensagem da atual operadora, Oi, informando sobre os novos números.

A numeração atual dos ramais não será modificada, com exceção dos telefones do Museu Nacional e da Faculdade Nacional de Direito, cuja nova numeração será divulgada em breve.

Atualmente, a UFRJ dispõe de aproximadamente 7 mil ramais, quantidade que poderá aumentar para 10 mil, acompanhando a expansão da universidade, que tem demanda crescente por novos números.

A mudança de prefixo foi necessária porque os números iniciados por 3873, 2598 e 2562 não possuem ramais exclusivos da UFRJ - são partilhados com outros locais. Para que os 10 mil números pudessem partilhar o mesmo prefixo, foi reservado para a universidade o 3938, com ramais de 0000 até 9999. É essa mudança que vai permitir que telefones que hoje não realizam ligação direta entre si possam fazê-lo.

A Superintendência de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), através da sua Diretoria de Telefonia, com apoio da Superintendência Geral de Gestão e Controle da Pró-Reitoria de Gestão e Governança (PR-6), concluiu em outubro do ano passado o processo de licitação. Esta é a primeira vez, em toda a sua história, que a UFRJ realiza uma licitação de telefonia.

A mudança vai permitir, além da economia de recursos, uma melhor qualidade do serviço prestado, por conta do acordo de nível de serviço, que prevê penalidades para a operadora no caso de interrupção ou indisponibilidade na prestação dos serviços para a UFRJ.

"As repercussões esperadas terão impacto não apenas pela significativa redução dos custos envolvidos, mas principalmente na importante melhoria da qualidade e eficiência dos serviços que passarão a ser oferecidos e os seus previsíveis reflexos nas nossas atividades acadêmicas", afirmou o reitor da UFRJ, Carlos Levi. "Trata-se, por certo, de um belo presente para a nossa universidade, neste início do ano acadêmico de 2014", disse.

De acordo com a pró-reitora de Gestão e Governança da UFRJ, Aracéli Cristina Ferreira, a equipe da PR-6 trabalhou por mais de um ano na elaboração do processo licitatório: "Foi bastante difícil, tecnicamente, porque a UFRJ ainda tem ramais analógicos, sem manutenção por anos, eram defasados. Os níveis de migração são de dificuldades diferentes e isso teve que estar previamente definido na licitação", explicou.

Economia e melhor controle de chamadas

De acordo com o professor Gabriel P. Silva, superintendente da TIC, o custo por minuto de ligação do tipo DDD passará para R$ 0,06, com o novo contrato, e valerá para chamadas destinadas a qualquer lugar do Brasil. O custo médio pago pela UFRJ para esse tipo de ligação era de R$ 0,47.

O problema de identificação de chamadas da UFRJ também será resolvido. Por exemplo: atualmente, quem recebe no celular uma ligação da universidade registra apenas um número fictício, vinculado ao ramal tronco da central que origina a chamada. Com a mudança de operadora, cada ligação terá o ramal de origem identificado individualmente.

As contas de telefone, que hoje são geradas por central telefônica, serão substituídas por contas vinculadas a cada número, o que possibilitará identificar os custos de cada ramal, isoladamente.

Internet mais rápida

As unidades situadas fora da Cidade Universitária (Faculdade Nacional de Direito, Fórum de Ciência e Cultura/Colégio Brasileiro de Altos Estudos, Maternidade Escola, Hospital São Francisco de Assis, Escola de Enfermagem Anna Nery, Escola de Música, Observatório do Valongo, IFCS, Instituto de História e Colégio de Aplicação) terão a velocidade de interconexão de dados aumentada de 2 Mbps para 10 Mbps, melhorando a qualidade do acesso à internet.

Contatos

A Diretoria de Telefonia da TIC, a partir desta semana, terá um canal direto para tirar dúvidas sobre o processo, através do servidor Mauro Silva, no telefone (21) 2598-1624 e e-mail maurosilva@tic.ufrj.br.

Cronograma

Até o momento, a UFRJ ainda não recebeu da Embratel o cronograma exato com as datas para alterações nos ramais. Ela deverá ser gradativa, por questões técnicas, ligadas a três centrais telefônicas, no Rio.

De acordo com o superintendente da TIC, os números da UFRJ no Rio funcionam vinculados a três centrais: uma localizada na Praia Vermelha, outra no CCMN e outra no CT. A programação de cada central será feita isoladamente. Nessa última terça (28/1), foi realizado um primeiro teste, na Praia Vermelha, para verificar as condições de mudança da Oi para a Embratel.

Nos próximos dias, as informações sobre a mudança nos ramais serão divulgadas amplamente para a comunidade da UFRJ e público externo, através de uma campanha especial. Todas as informações serão publicadas, também, no site da universidade.

Assessoria de Imprensa do Gabinete do Reitor UFRJ
(21) 2598-9608, (21) 2598-9607 - assessoria@reitoria.ufrj.br


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!